sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Considerações sobre o namoro moderno


01) O namoro moderno implica compra do coração com dinheiro, uma forma de prostituição a longo prazo; afinal, o dia sempre acaba na cama, na pornéia e Deus não gosta disso. 

02) O bom mesmo é o namoro santo, fundado na caridade cristã, de modo a que juntos cresçamos, tendo a Deus por fundamento das coisas e isso ninguém faz. 

03) Em vez de procurar sarna pra se coçar, siga o exemplo de São Paulo, apóstolo: veja a vida solteira como uma oportunidade para melhor servir a Cristo e a todos que tomem Deus como a base de suas vidas. Se surgir a oportunidade de conhecer alguém que ame e odeie as mesmas coisas que você, que cuide bem de você de modo a que você possa servir melhor aos seus irmãos, coisa que uma boa esposa tão bem sabe fazer, casar não é só uma boa pedida, mas é uma medida oportuna e conveniente. 

04) Casar por casar para satisfazer a um capricho familiar ou para esconder uma viciosa lascívia vai sempre terminar em divórcio. Casamento é uma vocação: e a vocação pede pessoas virtuosas para a boa praxe desse tipo de vida. Casar está difícil devido à falta de pessoas virtuosas que levem esse tipo de vida, ao mesmo tempo em que a vocação ao sacerdócio é negada por muitas famílias. 

05) O mundo precisa rezar mais pelas vocações e não casar seus filhos de todo e qualquer jeito. Isso sem contar que precisa trazer mais almas para o mundo e prepara-las para melhor servir a Cristo. 

06) Os pais de família estão agindo com Deus da mesma forma como sonegam imposto ao Estado. Só que Deus, ao contrário do Estado, nunca foi problema - sempre foi solução. É o que dá confundir o chá com a xícara.

Ver a análise sobre os nefastos contratos de de namoro: http://adf.ly/73kPH

A importância dos Tribunais Eclesiásticos


1) Tribunais onde se discute a relação do Povo de Deus com o Criador, como são os tribunais eclesiásticos e os confessionários, são extremamente necessários. Isso evita que pululem por aí toda uma série de crendices, que vão certamente perverter o devido exercício de se dizer o direito corretamente. 

2) Esta Espada é tão importante quanto a temporal. Antes de sermos brasileiros, somos cidadãos do Céu. 

3) Veja que usei o termo clássico da justiça portuguesa: tribunal de relação - isso tem muito a ver com o que é de fato. Pois funda-se no serviço, base para se praticar o evangelho do amor de Cristo. 

4) Pois a monarquia nos leva a sermos uma grande família: ela te faz tomar o compatriota como irmão e a fazer valer ao estrangeiro que quer vir aqui trabalhar e viver honestamente o brocardo "minha casa é também sua casa". Isso é causa de nacionidade. 

 5) Afinal, é o reino dos Céus uma monarquia, e não uma república. Onde há mudança de termos, de Tribunal de Relação para Tribunal de Justiça, é porque não há relação nenhuma entre as elites, que governam o país conforme a sua verdade, pondo-o na miséria e no Deus-dará, e o povo que vive nesta Terra. Há um claro divórcio disso.

Uma Espada e muitos martelos

1) Considerando a realidade, da Espada do Poder Temporal também surgem vários martelos: um que julga as causas da Administração Pública (Jurisdição Administrativa); um, relativo à disciplina nos quartéis; um, relativo às causas trabalhistas; um, relativo às causas cujo exame se dá pela Carta Constitucional de 1824; um, relativo às causas cíveis e às causas criminais, ou seja, as causas de Direito Comum. Isso sem contar o martelo que julga a relação entre os três poderes, que é o Poder Moderador - o martelo de ouro, o mais importante de todos. 

 2) A Espada do Poder Temporal gera martelos que julgarão a relação da corte com o seu povo, nessas matérias. 

3) A Igreja, com os tribunais eclesiásticos e com o confessionário, julga a relação do povo de Deus com Cristo. É uma Espada à parte, pois antes de sermos brasileiros, somos cidadãos do Céu. 

4) É pra que não se misture política com religião que a divisão deve ser dar dessa forma. A jurisdição não deve ser una - e ela deve se fundar sempre em Duas Espadas.

Teoria das Duas Espadas revisitada

Quando o altar se alia ao trono, temos três tipos de juiz: o que aplica a lei (Poder Judiciário), o que lida com os conflitos políticos do parlamento, de modo a que não haja arbítrio e nem Guerra Civil (Poder Moderador) e o que lida com os casos concretos cujo exame de caso envolve o exame da Lei Natural e que protege toda a ordem constitucional vigente (tribunais eclesiáticos). São duas Duas Espadas e Três Martelos.

Sobre a necessidade de se restaurar a aliança do altar com o trono


01) Quando era mais novo, todos me diziam que eu era inteligente só porque tinha uma excelente memória e porque tirava boa notas. Esse adestramento mecânico, no qual era bom, me levou à faculdade. Eu acreditava que lá poderia aprender a verdade sobre as coisas. 

02) Quando fui pra faculdade, percebi que a memória não bastava - eu me deparei com a seguinte questão, depois que comecei a meditar sobre a real importância da Lei Natural: de que adianta eu poder decorar de cabo a rabo o código penal, o código de processo civil, a constituição federal, se os fundamentos da lei estão em dissonância com a verdade, com os fundamentos da liberdade? 

03) Esse é o X do problema quando você vê que o Estado está de costas para aquilo que Deus determinou para todos nós. É preciso ter consciência de que, antes de sermos brasileiros, somos cidadãos do céu - é por essa razão que o Estado deve se aliar à Igreja, de modo a que idéia de nação como um lar seja tomada mais seriamente e melhor observada. O vazio disso leva ao Estado ser tomado como religião - tertium non datur. 

04) Isso não quer dizer que todos devem ser católicos - muito pelo contrário, a aliança entre o altar e o Estado impede que pululem por aí toda uma série de crendices e heresias sem fundamento que pervertem a verdade - e, por extensão, que afetem ao bom exercício do dizer o direito. Onde cada um tem a sua verdade, não haverá direito a ser dito - e isso é destrutivo. 

05) Exemplo disso são as Testemunhas de Jeová e os Adventistas do Sétimo Dia. Essas seitas heréticas estão lentamente destruindo a ordem constitucional devido ao seu particularismo - e justamente por isso que estão criando jurisprudência para fazer valer o seu particularismo em face de todo o povo. O fato de haver alguns milhões de habitantes dessa crença não traduz necessariamente que o que eles defendem seja verdadeiro. 

06) Receber sangue salva vidas e isso é fato - além disso, Deus permite que se salve vidas pela transfusão do sangue. Se uma testemunha de Jeová se tornar presidente do Brasil, eles são capazes de rasgar a Constituição para impor sua crença. Além disso, jurisprudencialmente já conseguiriam relativizar o direito à vida e o dever do médico de salvar vidas, o que é um prato cheio pro esquerdismo 

07) Os adventistas fizeram valer em jurisprudência que o sábado não pode ser usado como dia para se fazer concursos públicos. Com isso, jogaram os certames todos para o domingo. Além de prejudicar a fé dos católicos, ofende a lei trabalhista de descanso preferencial aos domingos, que está amparada na reta tradição católica. E não vejo nenhum católico lutando pela restauração do que é certo: que o descanso seja aos domingos. O que vejo é o pessoal renegar sua fé, por conta de um carguinho no funcionalismo público. É justamente por estar estudando a realidade e apreendendo o perigo dessas heresias que estou de pleno acordo com o argumento de que inteligente é quem apreende a realidade do mal e luta contra ele, de modo a restaurar o bem. 

08) A inteligência é um dos elementos mais nobres da natureza humana, quando se está a serviço de Deus. Por essa razão, não se deixe enganar pela linsonja escolar de que você é inteligente, por tirar boas notas ou porque tem boa memória. Concurseiros têm boa memória, na hora de passar; mas, quando dialogamos com eles, eles destilam toda sua ideologia esquerdista e certamente servirão ao diabo, uma vez lá dentro do funcionalismo. 

 Matérias relacionadas: 

 Considerações sobre a confessionalidade católica dos Estados: http://adf.ly/bNhyO

Ver as fundações lógicas da pátria brasileira. Ver aqui: http://adf.ly/cr82S 

Casando Ciência com Literatura

1) Alguns colegas meus de faculdade me diziam que eu combinava ciência com literatura.

2) Eu costumo usar nos meus textos termos coloquiais em meio a termos mais técnicos. 

3) Eu não teria o mesmo resultado se eu produzisse o meu pensamento dentro de uma universidade. O academicismo é uma camisa-de-força. E não conseguiria trabalhar a imaginação do povo, ao mesmo tempo que lhe forneço subsídios e informação relevante, fundada na análise da realidade. 

4) Se você quiser servir bem a sua pátria, enquanto escritor, case ciência com literatura. Forneça informação e trabalhe a imaginação de seu povo, levando-o a refletir e conhecer a verdade, a qual se funda em Cristo, Nosso Senhor. Assim, você será mais efetivo que um academicista, cheio de latinismos e jargões sem sentido.

Ver o método para se descobrir a Pátria e tomá-la como se fosse um lar (e não como uma religião):
http://blogdejoseoctaviodettmann.blogspot.com.br/2014/01/metodo-para-se-descobrir-patria.html 

A razão pela qual deve se lutar contra tudo isso

"Toda aspiração nacional de tornar-se "grande potência" com uma base cultural tão nula está condenada, de antemão, seja ao fracasso, seja a um sucesso que se tornará, caso alcançado, um flagelo para a humanidade, obrigada a curvar-se ante a força bruta de novos bárbaros que nem sequer têm um senso próprio de orientação na História onde interferem cegamente." (Olavo de Carvalho)

Eis aí porque devemos condenar o nacionalismo - ele está irmanado no comunismo. Ver o que falei sobre o assunto: http://adf.ly/crDtV

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Devemos rejeitar o nacionalismo

1) Rejeito o nacionalismo, pois ele é irmão do comunismo. 

2) O nacionalismo dá causa ao nativismo. Ao negar que a razão de Portugal ter colonizado o Brasil se funda num chamado de Cristo para que se sirva a Ele em terras distantes, eles trocam a nobreza do povo português pela indolência e selvageria do índio tupiniquim, só porque o miserável se encontra nesta geografia. O nativismo mata a circunstância da nossa formação e, por sua vez, a universalidade. Isso gera uma entropia sem precedentes, pois o quinhentismo nega nossa origem desde Ourique.

3) O nacionalismo mata a universalidade, fundamento legítimo para se tomar o país como fosse um lar (nacionidade), cuja fundação deve se dar em rocha sólida. Quando se mata a universalidade, o país assume a postura arrogante de que tem a sua verdade: a nacionalidade. 

4) O comunismo mata a nacionidade, pois o verdadeiro sentido de se tomar o país como um lar está na liberdade e ir e vir, assim como na expressão e na opinião, pois estas devem se fundar na verdade, que não precisa ser minha ou sua para ser nossa. 

5) Otário, lembre-se de uma coisa: nacionalismo é desonestidade para com a sua mãe, enquanto o comunismo é desonestidade para com os outros. É violação dos Dez Mandamentos, pois desonrar pai e mãe prepara o caminho para ser desonesto com os outros - e isso é apatria.

6) Não vai demorar muito pra você socializar a sua mãe e perverter tudo o que há de mais sagrado. Principalmente se esta for contrária à sua verdade, que é fora da conformidade com o Todo que vem de Deus. Trata-se de pecado sistemático, coisa que atenta contra a bondade de Deus e contra o Espírito Santo que guia esta terra.

José Octavio Dettmann

Rio de Janeiro, 30 de janeiro de 2014.

Método para se descobrir a pátria

01) Eu fui a Portugal e à Europa para buscar a teoria. Para se entender o Brasil, é preciso se universalizar primeiro.

02) Não o fiz viajando, mas lendo livros e me informando através de gente inteligente.

03) É se universalizando que você estuda o caso particular. É o Brasil destilado em Ciência, em teoria.

04) Fiz como fez Ortega y Gasset com a Espanha. É somente assim que você trabalha a imaginação de seu povo. É preciso revestir-se de Brasil, de modo a se fazer verdadeira ciência. Mas de Brasil verdadeiro, de modo a que o país seja tomado como um lar e não como uma religião. Infelizmente, o Brasil sério, o monárquico e católico, está preso nos livros. Então, cerque-se dos autores sérios e faça o trabalho de libertá-lo.

05) A Pátria, para ser descoberta em sua verdadeira essência, precisa deste método.

06) É preciso ser um cavaleiro cristão e reconquistar a pátria, para ser um verdadeiro brasileiro. É preciso fazer isso no campo da guerra, contra os esquerdistas, e no campo das idéias, contra os que não sabem o que de fato deve ser conservado. É preciso se combater a falsa concepção de Brasil que a República criou.

07) É preciso rejeitar os bezerros de ouro e restaurar os verdadeiros símbolos que fazem com que a pátria seja tomada como um lar. Troquemos a caricatura do nacionalismo pela poesia do nacionismo. O estudo da verdadeira vocação da pátria é uma epopéia permanente e inacabada.

08) Só com uma tradição de estudos sérios, fundados em verdadeira ciência, que você consegue restaurar no povo os verdadeiros fundamentos da pátria, que estão em Cristo, Nosso Senhor.

09) Sem se trabalhar a imaginação, o país estará eternamente deitado em berço esplêndido e num eterno conservantismo, conservando esse odioso estado de coisas porque isso convém a uma pequena parcela de imbecis que se beneficia disso, em detrimento de todo o nosso potencial, fundado nas nossas circunstâncias, enquanto pátria.

José Octavio Dettmann

Rio de Janeiro, 30 de janeiro de 2014.

Baseado no livro A Pátria Descoberta, de Gilberto de Mello Kujawski. O livro se encontra no meu dropbox. Por isso, entre em contato comigo no meu perfil de facebook e me mande seu e-mail que eu te adiciono na pasta de livros que digitalizei. Endereço do meu perfil de facebook:

https://www.facebook.com/jose.dettmann

O método envolve que se saiba casar muito bem ciência com literatura. Veja este artigo que escrevi:  

http://blogdejoseoctaviodettmann.blogspot.com.br/2014/01/casando-ciencia-com-literatura.html

Já que a teoria deve radicar-se no Brasil, ver o artigo que escrevi a respeito das fundações lógicas da pátria: 

http://blogdejoseoctaviodettmann.blogspot.com.br/2014/01/sobre-as-fundacoes-logicas-da-patria.html

 Matérias relacionadas:

http://blogdejoseoctaviodettmann.blogspot.com/2014/03/o-brasil-de-verdade-reduziu-se-uma.html 

http://blogdejoseoctaviodettmann.blogspot.com/2014/08/metodo-para-se-redescobrir-o-sentido-de.html

Sobre as Fundações Lógicas da Pátria

01) A razão de Portugal ter colonizado o Brasil se funda num chamado de Cristo, de modo a que se sirva a Ele em terras distantes.

02) A nobreza do povo português fundou a civilização nesta terra e esta é a circunstância da nossa formação, que nos leva à cristandade, a base de toda a universalidade, de tudo aquilo que é conforme o Todo que vem de Deus

03) Se você conserva a dor de Cristo em sua terra, você é português, pois você é conservador, no sentido original do termo. Por isso, um partido português sempre será conservador.

04) Se você ama o seu país como sendo o seu lar e sabe que o país se tornou uma nação livre graças à sabedoria do Rei D. João VI, saiba que você deve ser grato a Portugal, por ter fincado as bases da civilização no País, por ter posto esta terra no contexto da Cristandade, como parte de algo universal. Por isso mesmo, promova nesta terra os valores de Cristo e promova paz, com ordem justa e prosperidade econômica. E não fique buscando símbolos de rejeição à circunstância pela qual este país foi fundado - só aí é que haverá um Partido Brasileiro de verdade, fundado em algo que está à direita do Pai.

05) O sentido político desta pátria está no permanente diálogo entre o partido português e o partido brasileiro, pois qualquer sentido político fora disso implica que vivemos num simulacro de país. Por isso mesmo, portugueses e brasileiros não são duas facções que devem brigar até a morte pelo poder, mas partes da mesma nação tomada como se fosse um lar em Cristo e que devem trabalhar juntos, de modo a que o país seja uma civilização próspera e influente. Não só portugueses e brasileiros, mas também italianos, japoneses, alemães, poloneses e outros tantos grupos que vieram pra cá depois.

06) Enfim. usar os termos "direita" e "esquerda" como se fossem uma vala comum, tal como é costumeiramente usado, é abstração abusiva, pois você vai acabar pensando que o país em que vivemos é França e não o Brasil. Por conta disso, você estará jogando o país no contexto de uma ordem mais cosmopolita, que é a Nova Ordem Mundial. Afinal, política sem nacionidade, sem tomar o país como se fosse um lar, é divorciar-se da realidade, pois é um sintoma de burrice. Por isso mesmo, não você não deve chamar os nacionalistas - os que tomam o país como se fosse religião - de "direita", pois não passam de direita da esquerda, enquanto os comunistas são o buraco negro, a extrema esquerda.

07)  O verdadeiro sentido de "direita" está fundado naquilo que está à direita do Pai. E nesse sentido tanto o Partido Português quanto o Partido Brasileiro servem melhor à pátria do que todos esses partidos que nos conduzem à vala comum, já que servem à lógica das guerras de facção, própria desta República revolucionária. Por isso mesmo, o verdadeiro parlamentarismo está fundado num governo de colaboração e não numa guerra permanente de facções pelo poder, como há na republica. Afinal, o Império é a evolução da República, pois sendo o Imperador juiz dos debates políticos não haverá guerra civil e nem abusos, uma vez que o Imperador está exercendo o Poder Moderador e evitando que tudo termine num caos político.

08) Eis as fundações lógicas da pátria. Este é um dos aspectos que se deve considerar, quando houver a possibilidade de se restaurar a essência do lar perdido por conta da Revolução Liberal do Porto, em 1820.

José Octavio Dettmann

Rio de Janeiro, 30 de janeiro de 2014.

Matérias relacionadas:

http://blogdejoseoctaviodettmann.blogspot.com.br/2015/04/antes-de-sermos-brasileiros-precisamos.html

http://blogdejoseoctaviodettmann.blogspot.com/2016/03/notas-sobre-o-verdadeiro-carater.html

http://blogdejoseoctaviodettmann.blogspot.com/2016/06/notas-sobre-o-verdadeiro-carater.html

http://blogdejoseoctaviodettmann.blogspot.com/2016/11/historia-do-brasil-luz-do-partido.html 


terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Um caso de vadiagem sistemática na República das Bananas

1) Boa parte da população tem pé na senzala

2) Desses, por vingança, uma parte pisou no tomate;

3) Desses, em razão do agrotóxico chamado "passado histórico", uma parte da população está pisando em ovos para não pisar na melancia, pois a coisa pode feder mais ainda;

4) Ao final do processo, todos terão pisado em merda, mais cedo ou mais tarde.

5) Estamos em meio à psicose cotista e à psicose ambientalista. Não dá pra ficar em cima do muro - ele vai desabar. Se falo a verdade, me chamam de "nazista".

6) É prejuízo para nós, mas é negócio de Cuba, da Coréia do Norte, da Ordem Mundial e da China.

Verde-Amarelismo é pra quem planta couve

 01) Verde-amarelismo, quinhentismo, indianismo, cultura de exportação ou pau-brasil são alguns dos muitos nomes para o nacionalismo. É muita retórica e pouca leitura.

02) Quem faz disso bandeira são pessoas sem imaginação e de alma bem limitada. Ao contrário do tipo vermelho, ele é justamente o tipo mais comum de esquerdista que se encontra. Ele é por natureza um conservantista. Ele não sabe o que conserva e nem para sabe onde a pátria vai. Muitos menos, o porquê que ela foi fundada. A lógica dessa gente é que nem biruta de aeroporto: muda ao sabor do vento, tal qual seus presidentes, que entram em saem do poder a cada 4 anos.

03) Por trás dessa cultura de se tomar o Brasil como uma religião, tem-se a mesma postura do marxista de que um mundo melhor é possível.

04) É fato sabido: Os presidentes são senhores de si e só estão pra se locupletar. Nunca foram e nunca serão bons juízes. Negam a Deus e tudo depende de arbítrio, de caprichos.

05) Portanto, fujam do mundo melhor e continuem estudando a sério. É nas bases culturais e em silêncio que a verdadeira ordem e o verdadeiro espírito vão sendo restaurados.

05) O que Srta. Isabela Trevisani faz é plantar couve. Ainda que tenha coragem, sem estudo pouco resultado terá.

06) Um bom monarquista deve plantar carvalhos. E já se faz um bom caminho lendo Olavo de Carvalho.

Como perder um debate jurídico?


01) Quando se desconhece a real causa da vedação de algo e ficam a apelar tão-somente para o fato de que a lei veda, isso é um indício claro de que o amor à verdade não mais importa para o país. Sinal de que a cultura e a ordem moral do país faliram.

02) Certas pessoas têm a ousadia de dizer que "a escravidão não existe porque CRFB/88 veda". Se tivessem visto um pouco de direito romano e visto o malefício em si que é se ter o poder de vida e de morte sobre os outros, já saberiam de antemão que isso é razão suficiente para que isso nem seja objeto de deliberação ou de polêmica. Justamente isso que a imprensa quer fazer, ao noticiar sistematicamente o trabalho escravo ou o trabalho infantil.

03) Já se perde o jogo por uma única razão: o direito, para o marxista, é puro preconceito, pois decorre da lei do mais forte - e o mais forte é aquele que tem mais dinheiro e e é mais capaz de edificar toda uma série de utopias políticas, dispondo para isso de boas leis e boas armas (isso decorre da leitura pura e simples do Maquiavel). E o positivista, ao expulsar Deus como a fonte de toda Justiça, criou uma miséria jurídica colossal, da qual eles fizeram a festa.

04) A imprensa, que está toda adestrada na ideologia e que se presta a um servilismo grotesco, está divulgando sistematicamente notícias de trabalho escravo e trabalho infantil, não com o intuito de denunciar, mas para desacreditar a justiça, que, aliás, está realmente de costas paras as tendências da nação, desde o famigerado golpe de 15 de novembro de 1889, que pôs fim à história da nossa nação como um lar. 

05) A repetição sistemática da matéria alimenta a indiferença, o relativismo e a descrença no Poder Judiciário, afundando ainda mais o país nesse lamaçal republicano em que nos metemos e pelo qual pagamos a conta, em razão dos pecados cometidos por todos aqueles que foram covardes, pusilânimes, por preferirem evitar uma "guerra entre irmãos" do que uma Guerra Civil, em prol da restauração da verdade. 

06) Desde quando marxistas e republicanos nascidos no Brasil são meus irmãos? Nunca foram e nunca serão. Ele já são apátridas por escolha (e estão excomungados dos valores da pátria, já que colaboram para a corrosão da mesma). Se os imperadores usassem suas prerrogativas de pais da pátria (portanto chefes da igreja doméstica, por conta da natureza de pais), eles teriam vencido essa guerra fácil. A falta do uso da prerrogativa é que nos levou a essa tragédia.

07) O que ocorre no plano da Pátria desde 1889 também afeta o plano da Igreja. O cupim revolucionário corrói de fora para dentro. Muitos têm sido covardes, a ponto de não se atacar o problema como se deve.

08) Outros assuntos mais importantes não são noticiados - nem na TV JUSTIÇA, na Globo ou em outro lugar qualquer. Você vai ter que investigar sozinho. 

09) Se tiver uma carteirinha da OAB, use isso para promover jornalismo sério. É melhor que o nosso jornalismo tupiniquim sensacionalista, metido a sebo. Só não atue onde for considerado segredo de justiça, se as razões forem justas.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Outros fatores que qualificam a opressão que o governo exerce sobre nós - Parte 1


Além de a carga tributária ser altíssima, para sustentar os coitadinhos, outra coisa que agrava a opressão fiscal é a impossibilidade da dação em pagamento (compensação privada do crédito, em que você dá coisa diversa de dinheiro, de modo a se satisfazer a um crédito exigido). 

Vou citar um exemplo: 

1) Você tem uma loja de produtos de informática 

2) Você deve ao fisco 

3) Você não tem dinheiro, mas dá alguns computadores para o governo, de modo a satisfazer o crédito. 

4) Num país sério, esses computadores iriam à leilão e a dívida seria liqüidada, em razão do princípio da confiança. E o que sobrasse seria seu. 

5) Pelo que pude aprender em Direito Tributário, o CTN veda o pagamento in natura da obrigação fiscal. Num país livre, você pode pagar com trabalho, com mercadorias, caso você seja a chamado a custear as despesas da administração pública e não tenha dinheiro pra pagar. Mas aqui a teoria não se aplica: o Brasil é um país fascista e está de costas para os valores da liberdade em Cristo - quando você não tem dinheiro, o governo te executa, toma seus bens te deixa na rua da amargura. 

6) Enfim, a república tupiniquim está contra a lei natural.

7) Uma das coisas que faz o brasileiro mais pensar em dinheiro é justamente porque o governo veda que se dê coisa diversa de dinheiro, o que destrói a confiança.

8) Quando somos chamados a colaborar com o governo no custeio das políticas públicas, é sensato que se permita o pagamento in natura, caso a gente não tenha dinheiro. O fato de o governo vedar isso é uma opressão abusiva, sem mencionar o peso da elevada carga tributária. Quase nenhuma defesa temos contra o fisco, se não há a dação em pagamento.

9) A coisa é muito mais grave do que se pensa. 

10) A carga tributária elevada leva à sonegação. E a inviabilização da dação em pegamento incentiva à sonegação, pois não há meios de se negociar. Obviamente, o próprio governo incentiva a sonegação fiscal. Como vou tomar o governo como aliado, se ele não dá espaço para que eu possa me defender, principalmente quando estou em dificuldades financeiras?

11) O governo veda a dação em pagamento porque é um meio hábil de defesa jurídica e é uma forma para se obter um acordo judicial, sem a necessidade de um longo, caro e demorado processo de execução.

12) Se o pagamento for feito em trabalho, o governo não tem como roubar, dado que o produto da arrecadação fiscal vai ficar onde foi prestado o serviço.

13) Se o pagamento for feito em mercadorias, o produto da arrecadação em leilão ficará sujeito às leis de mercado, da oferta e da demanda. O governo leva parte da dívida ou a dívida toda, mas se sobrar alguma coisa é lucro pra você. Para o cidadão comum, é um excelente negócio. Para o governo, é um risco.

14) A dação em pagamento, se permitida, força o governo a reduzir a carga fiscal. O governo fica refém dos cidadãos - logo, temos liberdade.

15) Havendo acordo, a carga tributária é diminuída, em razão da confiança. A carga se reduz, por haver menos sonegadores.

16) E outro fato importante: para que isso funcione, é preciso banir os esquerdistas do poder. É preciso que se proíba a formação de partidos socialistas e comunistas - a assim, não haverá risco de perversão das leis. Por isso, vencer a guerra cultural é importante.

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Olavo de Carvalho, sobre retórica


01) Cada um dos meus críticos que, reconhecendo em mim alguma força ainda que a contragosto, consente em me dar um tapinha paternal nas costas em louvor à minha "capacidade retórica", só mostra com isso que não tem a menor idéia do que seja retórica e que emprega o termo com um intuito canhestramente pejorativo, como uma criança que apela a um palavrão cujo sentido desconhece.

02) Retórica é a arte do raciocínio verossímil, isto é, de tomar como premissas as opiniões dominantes e mostrar que o seu ponto, seja ele qual for, está de acordo com elas, decorre delas sem atritos nem obstáculos. Se eu usasse do discurso retórico, como o fazem aliás muitos porta-vozes da "direita", eu teria de tentar tornar as minhas idéias agradáveis à mentalidade esquerdista, usando, por exemplo, chavões como "esquerdismo jurássico" para sugerir que sou mais progressista do que os progressistas, e assim por diante. Qualquer análise atenta dos meus escritos mostrará que JAMAIS faço isso. Em suma: retórica, meus caros críticos, é a puta que os pariu.

(Olavo de Carvalho)

O Estado deve investir mais em educação?


O Estado tem que investir mais em educação?

Não, o Estado já enche o saco demais. O Estado deve proporcionar meios para que as famílias eduquem os filhos como bem entenderem: em escolas públicas (que devem ser em número reduzido para que a escola não se torne uma instituição onipresente de propaganda ideológica), em escolas particulares (que, no que concerne ao currículo, não podem ser coagidas pelo Estado) ou EM CASA.

"Investir em educação" é um código cifrado que significa tão somente angariar votos e depois sumir com o dinheiro público.

(do mural de Allan Lopes dos Santos)

A verdade sobre os tais "rolezinhos"

Não escrevi uma vírgula sobre os tais "rolezinhos". A bem dizer, meu objetivo era não escrever coisa alguma sobre coisa alguma por algum tempo, quanto mais sobre algo cuja denominação é tão esdrúxula, mas tão esdrúxula, que só faz reforçar a percepção de que esses "movimentos espontâneos das redes sociais" que, de uma hora para outra, são elevados à endemia e comovem a sociologia de botequim das redações globais certamente respondem a um Departamento de Ignomínia em Propaganda, um Politburo central. Tamanha idiotice não pode ser incidental.

Mas, vá lá, o "rolezinho" (valha-me Deus...) é um fato. Em nossa impotência, eis mais um sinal de barbarismo com o qual teremos de conviver. Notáveis como Alexandre Borges já diagnosticaram o fenômeno à exaustão, e com característica precisão. Sandro Vaia apontou, e não posso deixar de parafrasear, que o rolezinho é coisa de uma estupidez tão abissal, mas tão abissal, que apenas a sociologia do rolezinho conhece inferiores profundezas.

O filósofo Olavo de Carvalho, em meio a isso tudo, constatou como o único pecado ao sul do Equador aparenta ser a conduta de quem mantenha um emprego, não mate ninguém, não cometa assaltos nem participe de arrastões. Este, lamenta Olavo, seria "um explorador capitalista, opressor dos pobrezinhos". E é verdade: para um revolucionário, mais grave que o crime de seu opositor ativo é o da massa que lhe seja indiferente. Não é à toa que a indefectível Marilena Chauí (cuja memória deverá tributo eterno a uns versinhos de Bruno Tolentino) destile ódio incessante sobre a classe média, modorrenta por excelência.

Como se vê, seria totalmente supérfluo que eu fizesse qualquer registro. Quanto mais nesse meu estilo de indelével pedantismo involuntário. Mas, se faço esse esforço, é pelo desejo supremo (e infantil, eu sei) de apontar para todo os eventuais colegas facebookeanos que não levaram em consideração nossos alertas sobre a patacoada de que o "Gigante" havia acordado, lá em meados do ano passado (vide o trio de textos a respeito em meu blog) e, em meio a um sonoro "EU AVISEI!", questioná-los se estão satisfeitos.

Sim, pois quem pode negar estarmos diante dos filhotes arquilegítimos dos movimentos do ano passado? A gênese é idêntica ao absurdo. A recepção pelos meios de comunicação e a apropriação pela intelectualidade orgânica, idem. O paralelo é crasso. Há até aquele mesmo formato de escola de samba, como disse Marlon Boone Adami, dividindo os desfiles em ala dos pacíficos e ala dos violentos.

Você, caro amigo, que se prestou a carregar bandeiras em meio ao caos de 2013, entenda de uma vez por todas: serviste tua cabeça em uma bandeja. Foste escada para os próceres do terror. Eles têm um projeto, e seguem fomentando-o enquanto seu Gigante aproveita a soneca. Eles incendiaram o caos para abrir espaço a uma Nova Ordem, sob a qual a inocência do militante anônimo não terá vez.

(do mural de Leonardo Faccioni)

sábado, 18 de janeiro de 2014

Um caso de Guerra Assimétrica

Vejam um clássico exemplo do que é guerra assimétrica:

Os "estudantes" da Uneafro ameaçam um arrastão. A administração do Shopping fecha as portas preventivamente e o "estudantes" da UNEafro fazem o quê ? Registram uma ocorrência na delegacia contra o Shopping!

Guerra assimétrica é exatamente isso. Um lado pode tudo. Do roubo até o genocídio. Ao outro lado só lhe resta aceitar ser morto.

Estudo de caso: http://adf.ly/cJZis

(do Mural de Alessandro Mello)

Os falsos mártires do 3º Mundo e A Nova Ordem Mundial


É graças a essa rama dos magos caldeus da babilônia que hoje são os Sionistas e que outrora eram os rebelados de Órion, precursores do Império Annunaki-Reptiliano, que toda a "democracia" inspirada em valores anglo-saxões no mundo funciona sob o controle dos bancos centrais. Para que a agenda desses globalistas satanistas possa ser implementada, eles criam distintas organizações políticas e não-governamentais, que tem a missão de guerrear entre si ou apenas "protestar", ou até mesmo espalhar a discórdia e o caos para disso sacar proveito e impor a Nova Ordem.
 
No Brasil, essas organizações patrocinam e treinam outras organizações que, apesar de "públicas", são obscuras como os tais "black blocks", "Anonymous",Ocuppy Wall Street, "Passe Livre", entre dezenas de outras que eu agora mesmo não saberia nomear. Essas organizações são "tapadeiras", imensas cortinas de fumaça para as verdadeiras intenções de seus idealizadores e patrocinadores que, em suma, são sempre as fundações Rockfeller, as organizações de George Soros entre outras poucas mais, todas sem exceção a serviço da casa de Rothschild.


Ruy Mendes

(do Mural de Maria S. Pedrosa)

Um pensamento de Dostoievski bem atual

"(...) - Nada mais se admite! - interrompeu entusiasmado Razumíkhin - E não estou mentindo!... Eu te mostro um livro deles: eles defendem tudo isso porque para eles "o indivíduo é vítima do seu meio" e nada mais! É a frase preferida! Daí se deduz diretamente que, caso se construa a sociedade de maneira correta, todos os crimes desaparecerão de um só golpe, uma vez que não haverá contra o que protestar e num instante todos os homens se tornarão justos.
 
Não se leva a natureza em conta, suprime-se a natureza, não se percebe a natureza! Para eles não é a humanidade - que se desenvolveu pela via histórica e viva até o fim - que vai finalmente converter-se numa sociedade normal, mas, ao contrário, é o sistema social que, saindo de alguma cabeça de matemático, vai imediatamente organizar toda a sociedade e num abrir e fechar de olhos a tornará justa e pura antes de qualquer processo vivo, sem qualquer via histórica e viva!
 
É por isso que eles detestam tão instintivamente a história: nela veem "só deformidades e tolices", e tudo se explica exclusivamente pela tolice! É por isso que detestam o processo vivo da vida: a alma viva é dispensável! A alma viva exige vida, a alma viva não obedece à mecânica, a alma viva é desconfiada, a alma viva é retrógrada! E mesmo que cheire a carniça, pode ser feita de borracha, mas aí não é viva, aí não tem vontade, aí é escrava, incapaz de rebelar-se. (...). O principal - não se precisa pensar! Todo o mistério da vida cabe em dois cadernos!" 

DOSTOIÉVSKI, Fiódor

G-8 quer marco regulatório da Internet em escala mundial

Líderes do G8, grupo de países industrializados formado por Estados Unidos, Japão, Alemanha, Reino Unido, França, Itália, Canadá e Rússia vão lançar, em breve, um comunicado pedindo por regulação mais firme da internet. Quem encabeça a proposta é o presidente da França, Nicolas Sarkozy.

Os representantes vão reclamar a adoção de medidas para proteger crianças de “predadores online”, para melhorar o direito à privacidade e para combater a pirataria. Ao mesmo tempo, para evitar controvérsias, o documento irá incentivar as iniciativas de negócios privados na internet e seu desenvolvimento desvinculado de governos.

(do mural de Maria S. Pedrosa)

Do que o bom direito deve fugir, para estar conforme à lei natural?


Todo bom direito deve, pois, fugir ao legalismo estrito e ao literalismo, duas pragas que corroem os atos da justiça devido ao automatismo de caráter formalista na observância da lei. Digamos isto de outra maneira: as palavras são o corpo da lei; a intenção do legislador é a alma. Pôr ênfase no corpo em detrimento da alma é tentar fazer viver um cadáver. Quando, pois, as decisões judiciais se desvinculam da intenção do legislador, invariavelmente acontecem injustiças.

Sidney Silveira

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Os monarquistas não podem ser nacionalistas


01) Para se tomar um país como um lar, o trato com a coisa pública deve ser permanente. E os critérios de justiça devem ser imutáveis, fundados nos ditames da lei natural. E é nesse sentido que as leis positivas serão justas enquanto estiverem consoantes a essa lei.

02) Justamente pelo fato de os critérios de justiça serem permanentes, o Imperador é também juiz. E é sob a proteção e autoridade pessoal dele, como servo dos servos de Deus e senhor dos senhores de seu Povo, que o país se mantém próspero, estável. E a monarquia hereditária é uma clara evidência de que a autoridade pessoal não será quebrada, fora que não haverá alteração dos critérios de justiça que fazem com que o País seja tomado como um lar.

03) É graças a isso que a Santa Religião têm liberdade para servir, de modo a fortalecer a boa autoridade pessoal, fundada na autoridade divina.

04) O grande erro de muitos monarquistas é confundir nacionismo com nacionalismo.

05) Nacionalismo é tomar o Estado como Religião e confundir a figura do Imperador com a de um Deus vivo.

06) E é exatamente isso que os republicanos querem nos pintar: de que a monarquia é um atraso por causa disso.
Esse monarquismo burro só vai dar razão a que os republicanos nos mantenham nesse estado atrasado de coisas em que nos meteram. Isso é espiral do silêncio, pois estamos usando os argumentos dos republicanos, pois nacionalismo é uma forma de esquerdismo. Talvez esta seja a razão pela qual não estamos avançando tanto na causa, pois estamos contestando esquerdistas usando termos esquerdistas.
 
07) Os monarquistas precisam dominar bem estes conceitos de nacionidade e nacionalidade - e só assim não se deixarão dominar pelas heresias políticas que dominam a nossa realidade. Dominar a linguagem é o melhor caminho para uma restauração segura.

Homilia do Papa Francisco I contra o desserviço da Imprensa

“O primeiro mal grave é a desinformação. Falamos só a metade do que nos convém e não a outra metade; a outra metade não a dizemos porque não é conveniente para nós. O segundo mal é a difamação: quando uma pessoa realmente tem um defeito e errou por conta disso, pensa-se que contá-lo ao mundo é “fazer-se de jornalista”(…) e uma vez contada a história a fama e dignidade dessa pessoa estão defitivamente destroçadas! E o terceiro grande mal é a calúnia: dizer coisas que não são certas. Isso é também matar o seu irmão! 

Todas essas três coisas – a desinformação, a difamação e a calúnia – são pecados! Este é o pecado [sistemático]! Isso é dar um tapa em Jesus na pessoa dos seus filhos, dos seus irmãos”. (Papa Francisco, Homilia de 19 de maio de 2013)
  
(Por Nelson Monteiro Sarmento)

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

12 Partidos para não se votar mais

1) Partido dos Trabalhadores (PT)
2) Partido Socialismo e Liberdade (PSOL)
3) Partido da Causa Operária (PCO)
4) Partidos Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU)
5) Partido Democrático Trabalhista (PDT)
6) Partido Comunista do Brasil (PCdoB)
7) Partido Comunista Brasileiro (PCB)
8) Partido Socialista Brasileiro (PSB)
9) Partido Popular Socialista (PPS)
10) Partido Pátria Livre (PPL)
11) Partido Verde (PV)
12) Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB)

NÃO VOTE em candidatos destes partidos ou de partidos a ele coligados!

Os três tipos de gente politizada no Brasil


Os três tipos de brasileiros que se autodeclaram politizados são:

1- É petista e honesto, então não é inteligente.
Brasileiro típico: a massa de manobra, os inocentes úteis.

2- É petista e inteligente, então não é honesto.
Brasileiro típico: a classe dirigente, Zé Dirceu, Genoíno, Lula etc.

3- É inteligente e honesto, então, óbvio, não é petista.
Brasileiro típico: a esmagadora maioria da população brasieliera, embora um tanto afetada pelas bolsas, cotas e outras esquerdopatias com chapéu alheio.

(Por Carlos Costa)

A revolução é uma insurreição


"A revolução não é o convite para um jantar, a composição de uma obra literária, a pintura de um quadro ou a confecção de um bordado, ela não pode ser assim tão refinada, calma e delicada, tão branda, tão afável e cortês, comedida e generosa. A revolução é uma insurreição, é um ato de violência pelo qual uma classe derruba a outra."
 
Mao e a REFORMA AGRÁRIA.

(do Mural de Maria S. Pedrosa)

Ver mais:

Um bom pensador contra-revolucionário precisa ser um bom encantador de serpentes. Bolei um método para se fazer isso. Após 5 segundos, clique em pular a propaganda (skip ad) http://adf.ly/c9s34

O perigo dos direitos reprodutivos


1990 - A Fundação Ford propõe, através do relatório intitulado “Saúde Reprodutiva, uma Estratégia para os anos 90”, a criação dos novos conceitos de saúde sexual e direitos reprodutivos. Para alcançar o crescimento populacional zero, pretende-se desmotivar a formação da família e o desejo de ter filhos. O objetivo será alcançado através da educação sexual precoce, da alteração do status da mulher na sociedade, e da mudança dos valores morais pelos quais as decisões reprodutivas são tomadas pelos indivíduos e pela sociedade. O relatório propõe reconceitualizar a saúde e a doença não apenas como estados biológicos, mas como processos relacionados aos modos como vivem as pessoas, criar os conceitos de saúde e direitos sexuais e reprodutivos, empoderar as organizações de mulheres para promover a saúde reprodutiva, financiar a promoção de debates e disseminar informações para definir áreas de consenso e promover o reconhecimento do aborto como um direito reprodutivo.

Comentário: se você acha que as idéias dos nossos tempos são "maravilhosas", é porque você é um otário. Tristes são os nossos tempos!
(Do mural de Maria S. Pedrosa, via Silvia Elizabeth) 

Ver também:

A Ilusão da Pornografia: http://adf.ly/cBeNa

A Falácia do my body, my rules: http://adf.ly/aIWw1   

Sabotagem Sexual (livro em inglês, PDF): http://adf.ly/cBplt 

A ilusão da pornografia


"Mercado" que cresce e destroi vidas.

A ex-atriz pornô Shelley Lubben, em seu livro Truth Behind the Fantasy of Porn (A Verdade por Trás da Fantasia da Pornografia), afirma que a pornografia é “a maior ilusão do mundo”. Segundo ela, muitas mulheres desse universo bebem e usam drogas para poder fingir que gostam do que fazem. Embora a indústria do sexo tente pintar outra realidade, Shelley revela que “as mulheres estão com uma dor indizível por ser espancadas, cuspidas e xingadas. [...] Pornografia é nada mais do que sexo falso, contusões e mentiras em vídeo. Confie em mim, eu sei”. No livro, Shelley traz testemunhos de outras ex-atrizes, como o de Michelle Avanti, que em sua primeira cena tentou voltar atrás: “Um ator disse que eu não poderia voltar atrás porque havia assinado um contrato”, disse Michelle. “Fui ameaçada de que se não fizesse a cena seria processada em uma enorme quantia em dinheiro. Acabei tomando doses de vodca para fazer a cena. Como eu fazia mais e mais cenas, abusei da prescrição de pílulas que me eram dadas a qualquer momento por diversos médicos em San Fernando Valley.”

Shelley diz que muitas mulheres acabam nesse mundo por culpa da extrema erotização da sociedade. “Onde mais poderia uma criança que foi hipersexualizada ter tanta atenção? Os olheiros da pornografia ficam à espreita pesquisando online por anos os perfis e predando as desavisadas fêmeas sexualizadas. Fingindo ser adolescentes ou admiradores do sexo masculino, postam palavras lisonjeiras [...] e as adolescentes emocionalmente carentes rapidamente caem na armadilha.”

Jennifer Case é outra atriz que deixou a indústria do sexo, segundo ela, “pela graça de Deus”. Hoje ela também milita contra a pornografia e diz aos homens: “Há uma pessoa real do outro lado das imagens que você está vendo, e você está destruindo a vida dela e a vida dos filhos dela.” Numa entrevista para o site The Porn Effect, Case testemunha de sua própria experiência sobre os malefícios que a indústria pornográfica provoca nas mulheres envolvidas. Ela diz que ficou traumatizada, oprimida e se sentindo abusada. Assim como outras atrizes desse segmento, ela também se tornou viciada em drogas e precisava do dinheiro da pornografia para continuar alimentando o vício. Além disso, ela teve que lidar com doenças sexualmente transmissíveis. “Tive muitas infecções diferentes o tempo inteiro. Deixei Hollywood porque fiquei muito doente por causa da clamídia. Meu abdome doía tanto que tive que voltar para casa”, disse ela.

Aliás, falando em doença... o Departamento de Saúde Pública de Los Angeles, em setembro de 2009, publicou relatórios surpreendentes de 2.396 casos de clamídia, 1.389 casos de gonorreia e cinco casos de sífilis entre artistas pornôs. Entre 2004 e 2008, repetidas infecções foram relatadas por 25,5% dos indivíduos. Também foi relatado que a prevalência de clamídia e gonorreia em artistas pornô é dez vezes maior em Los Angeles.

Mercado que só cresce

A despeito dos riscos relacionados com a pornografia (para quem faz e para quem vê), segundo matéria publicada no site LifeSiteNews, a produção e a venda de conteúdos pornográficos atualmente representam a sétima maior indústria dos Estados Unidos. “Novos vídeos e páginas de internet são produzidos a cada semana, com a revolução digital trazendo um grande número de novos sistemas de distribuição. Toda nova plataforma digital se torna uma oportunidade de marketing para a indústria pornográfica.”

Os rendimentos anuais da indústria pornográfica chegam perto dos 15 bilhões de dólares, nos Estados Unidos, e quase 100 bilhões ao redor do mundo. Essa indústria é maior do que Microsoft, Google, Amazon, eBay, Yahoo!, Apple, Netflix e EarthLink juntas. Perto de 50 milhões de norte-americanos adultos visitam regularmente sites de sexo virtual. De acordo com o National Council on Sexual Addiction and Compulsivity (Conselho Nacional sobre o Vício e a Compulsividade Sexuais), existem mais de 20 milhões de viciados em sexo nos Estados Unidos, 70% dos quais afirmam ter problemas de comportamento sexual virtual.

De acordo com pesquisas do Barna Group, quase 40% dos adultos acreditam não haver qualquer imoralidade em ver material de sexo explícito. Além disso, aproximadamente um a cada quatro acredita que não deveria haver restrições quanto à pornografia ou ao seu acesso. “Infelizmente, 28% dos cristãos acreditam que, mesmo com o que está escrito em Mateus 5:28, não há nada de errado em ver pornografia”, diz Regis Nicholl, colunista do site BreakPoint. “O mais triste é descobrir que por volta de 50% dos cristãos e 40% de seus pastores admitem ter problemas com a pornografia”, revela.

E o problema começa cada vez mais cedo. As palavras “sexo” e “pornô” estão entre as dez mais procuradas por crianças na internet. O ranking foi feito pela empresa de segurança Symantec, que identificou as cem principais buscas feitas durante quatro meses, por meio de seu serviço de segurança familiar OnlineFamily.Norton, que supervisiona o que as crianças e os adolescentes fazem na internet. A palavra “sexo” aparece em quarto lugar e “pornô” em sexto.

Por esse e outros motivos, é preciso orientar as crianças com respeito ao uso da internet. Gregory Smith, vice-presidente e diretor executivo de informação do Departamento de TI da World Wildlife Fund, em Washington, DC, escreveu o livro Como Proteger Seus Filhos na Internet (Editora Novo Conceito). Para ele, deixar a criança diante de um computador com acesso à internet, sem qualquer tipo de monitoração, é a mesma coisa que colocá-la numa esquina e não ficar vendo o que acontece. Em seu livro, ele apresenta os riscos da internet, inclui detalhes de tragédias recentes do mundo real (inclusive um diálogo explícito mantido entre um predador sexual e uma adolescente, o que torna a leitura não recomendável para crianças) e revela alguns segredos das atividades online.

Efeitos

Um grande número de jovens consumidores de pornografia na internet está sofrendo de ejaculação precoce, ereções poucos consistentes e dificuldades de sentir desejo com parceiras reais, é o que afirma reportagem publicada na revista Psychology Today. Pesquisa feita pela Universidade de Pádua, na Itália, indicou que 70% dos homens jovens que procuravam neurologistas por ter um desempenho sexual ruim admitiam o consumo frequente de pornografia na internet.

Outros estudos de comportamento sugerem que a perda da libido acontece porque esses grandes consumidores de pornografia estão abafando a reposta natural do cérebro ao prazer. Anos substituindo os limites naturais da libido por uma intensa estimulação acabariam prejudicando a resposta desses homens à dopamina. Esse neurotransmissor está por trás do desejo, da motivação – e dos vícios. Ele rege a busca por recompensas. Uma vez que o prazer está fortemente ligado à pornografia, o sexo real parece não oferecer recompensa. Então essa seria a causa da falta de desejo em muitos homens.

Em seu site, Nicholl publicou o testemunho de um homem que escreveu: “Desde que coloquei internet de alta velocidade em casa, comecei a ver muito mais pornografia e meu desejo e desempenho sexuais diminuíram lentamente. Agora está se tornando um problema real. Eu simplesmente não fico tão excitado quanto ao sexo como de costume e parece que perco o interesse depois de alguns minutos.”

William Struthers, da Faculdade Wheaton, explica que “os homens parecem ter sido feitos de tal maneira que a pornografia sequestra o funcionamento adequado de seu cérebro e tem efeito de longo prazo em seus pensamentos e vida”. Struthers é psicólogo com formação em neurociência e especialidade de ensino nas bases biológicas da conduta humana. No livro Wired for Intimacy: How Pornography Hijacks the Male Brain (Programado Para a Intimidade: Como a pornografia sequestra o cérebro masculino), ele se vale da neurociência para explicar por que a pornografia é uma grande tentação para a mente masculina. “A explicação mais simples da razão por que os homens veem pornografia (ou procuram prostitutas) é que eles são levados a procurar intimidade”, explica ele. O impulso para obter intimidade sexual foi dado por Deus e é essencial para os homens, reconhece ele, mas é facilmente mal direcionado. Os homens são tentados a buscar “um atalho para o prazer sexual por meio da pornografia” e acham que dá para se acessar esse atalho com facilidade.

Num mundo de pecado, a pornografia se torna mais do que uma distração e uma distorção da intenção de Deus para a sexualidade humana. Torna-se um veneno viciante. Struthers explica: “Ver pornografia não é uma experiência emocional ou fisiologicamente neutra. É fundamentalmente diferente de olhar para fotos em preto e branco do Memorial Lincoln ou olhar um mapa colorido das províncias do Canadá. Os homens são reflexivamente atraídos para o conteúdo de material pornográfico. Como tal, a pornografia tem efeitos de grande repercussão para estimular um homem à intimidade. Não é um estímulo natural. Atrai-nos para dentro. A pornografia é indireta e voyeurística em sua essência, mas é também algo mais. A pornografia é uma promessa sussurrada. Promete mais sexo, melhor sexo, infinito sexo, sexo conforme os desejos, orgasmos mais intensos, experiências de transcendência. [...] [A pornografia] atua como uma combinação de múltiplas drogas.”

Segundo Struthers, quando o homem vê imagens pornográficas, essa experiência cria novos padrões na programação do cérebro, e experiências repetidas formalizam a programação. “Se eu tomo a mesma dose de uma droga repetidas vezes e meu corpo começa a tolerá-la, precisarei tomar uma dose mais elevada da droga a fim de que tenha o mesmo efeito que tinha com uma dose mais baixa, na primeira vez”, explica o psicólogo.

Mas o problema não se restringe aos homens. Pesquisadores da Universidade da Califórnia e do Tennessee, nos Estados Unidos, recrutaram 308 universitárias heterossexuais, entre 18 e 29 anos, para completarem um questionário online. Elas responderam questões sobre a qualidade do namoro, satisfação sexual e autoestima. Segundo matéria publicada no site da revista Superinteressante, “o resultado mostrou uma relação entre felicidade, autoestima e filmes pornôs. Quanto mais pornografia os namorados ou maridos viam, maior era a chance de ter um relacionamento infeliz. Quem reclamou sobre o vício exagerado do namorado em assistir a vídeos pornôs mostrou autoestima mais baixa e insatisfação com o namoro e com a vida sexual. De tanto se compararem (ou serem comparadas) às moças dos filmes, elas ficam mais inseguras com o desempenho na cama ou com o próprio corpo”.

A verdade é que a pornografia traz um estresse enorme para o relacionamento, principalmente no casamento. “É comum que a esposa do usuário expresse sentimentos de traição, desconfiança e perda de autoestima. Com frequência, tais sentimentos levam à depressão clínica com feridas psicológicas e emocionais duradouras. Com o surgimento da desconfiança e da ferida, muitas mulheres decidem pelo divórcio”, diz Nicholl.

Para ter uma dimensão do problema em números: dois terços dos advogados presentes na reunião de 2003 da Academia Americana de Advogados Matrimoniais disseram que a pornografia virtual estava envolvida na metade dos casos que representaram. “Considerando as consequências negativas do divórcio, sentido principalmente pelas mulheres e crianças, a pornografia, contrariando o movimento do livre arbítrio, é uma doença social grave”, compara Nicholl.

Pornografia e violência

A socióloga americana Gail Dines é uma das fundadoras do movimento Stop Porn Culture, dá aulas de sociologia e gênero na Faculdade Wheelock, em Boston, e é uma grande crítica da indústria pornográfica. Em seu livro Pornland (Terra do Pornô), ela levanta uma hipótese perturbadora: os filmes pornográficos, acessados pela internet por qualquer adolescente, seriam os responsáveis pelo aumento de casos de violência sexual contra a mulher e contra crianças. “Os estudos mostram que entre 40% e 80% dos homens que fazem download de pornografia infantil acabarão se envolvendo em algum tipo de abuso contra menores”, disse Gail ao site Mulher 7×7.

“As imagens têm um impacto profundo sobre nós. Isso não significa que um cara que se masturba vendo pornografia irá estuprar uma mulher. Mas os estudos mostram que no caso de homens inclinados a praticar violência sexual, quanto mais pornografia eles assistirem, maior é a chance de eles cometerem crimes”, diz Gail na entrevista. “Já entrevistei muitos desses agressores e tenho certeza absoluta de que o crescimento da divulgação de materiais pornográficos usando crianças – ou explorando o universo infantil – está aumentando a violência sexual contra crianças. Algumas pesquisas mostram que entre 40% e 80% dos homens que baixam da internet pornografia infantil acabarão se envolvendo em algum tipo de abuso contra menores. Os estudos definitivamente sugerem que há uma ligação”, completa ela.

De acordo com a professora, a pornografia relaciona sexualidade ao menosprezo pelas mulheres. “É uma combinação muito ruim, especialmente quando pensamos que os meninos veem pornografia pela primeira vez por volta dos 13 anos. O que significa para um menino que ainda está desenvolvendo sua sexualidade ver esse tipo de pornografia? Quanto mais erotizamos essas imagens, mais dizemos aos homens que é dessa maneira que eles devem tratar as mulheres, que eles devem achar isso excitante. E os garotos vão construir sua identidade sexual em torno dessas imagens.”

Em seu site, o ex-candidato à presidência dos Estados Unidos, Rick Santorum, afirmou que a pornografia naquele país é uma “pandemia”. “Ela contribui para a misoginia e a violência contra as mulheres. É um fator que contribui para a prostituição e o tráfico sexual”, escreveu.

E tem mais: número significativo de pessoas envolvidas com a indústria da pornografia no cinema e na internet é vítima de tráfico internacional de humanos. O Departamento Estadual Americano registra que há mais de 12 milhões de escravos modernos, aproximadamente 1,5 milhão dos quais são forçados para o mercado do sexo.

Apelo de quem sabe o que diz

Jennifer Case
A ex-atriz Jennifer Case admite que os consumidores de pornografia têm parte da culpa pelas mazelas sofridas pelos envolvidos com esse mundo, mas ela diz que compreende que só com a ajuda de Deus os homens conseguem sair do vício, assim como foi com a ajuda de Deus que ela deixou essa indústria. “Homens, Deus ama vocês! Eu amo vocês também e sempre orarei por todos vocês, para que as cadeias sejam quebradas”, diz ela. “Você é escravo da pornografia tanto quanto qualquer atriz pornô. Se você está vendo pornografia ou está viciado em pornografia, você está tentando encher um vazio dentro de você que só Deus pode preencher. Toda vez que você vê pornografia, você está aumentando o vazio, e você destruirá sua vida.”

Ela diz ainda que a pornografia é “maligna” e “é uma droga, veneno e mentira”. “Se você pensa que poderá guardá-la no escuro, Deus a tirará para fora, para a luz, para deter você e curar você.”

Num apelo muito franco, Case diz que “essas mulheres [do mundo pornográfico] são preciosas e merecem ser amadas exatamente como vocês [homens] merecem. Há uma pessoa real do outro lado das imagens que você está vendo, e você está destruindo a vida dela e a vida dos filhos dela. Em toda pornografia existe a filha de alguém. E se fosse a sua filhinha? Você pode realmente estar ajudando na morte de alguém! Atores e atrizes pornôs morrem o tempo todo de aids, overdose de drogas, suicídio, etc. Por favor, parem de olhar pornografia.”

Impressionam os apelos sinceros de mulheres como Shelley Lubben e Jennifer Case. Elas sabem que, como qualquer vício, o da pornografia geralmente começa com o descuido e a curiosidade e vai se aprofundando, até que a pessoa se dá conta de estar escravizada pelo hábito destrutivo. O alcoólico deve ficar longe do álcool. O toxicômano deve passar longe das drogas. E o viciado em pornografia também deve tomar medidas preventivas. Se o problema é a internet, deve-se acessá-la sempre acompanhado de outras pessoas, limitar o tempo de navegação, ser muito focado e específico no uso (evitando navegar a esmo por aí) e colocar filtros no computador.

Finalmente, e mais importante: como disse Jennifer, só com a ajuda de Deus se pode conseguir a libertação do vício. Portanto, se você vive esse drama, intensifique sua comunhão com Deus por meio da oração sincera, do estudo devocional diário da Bíblia, das boas companhias e da frequência regular à igreja. Quando Jesus controla nossa mente, os pensamentos e desejos se tornam puros e corretos.

(Michelson Borges é jornalista e mestre em teologia)

(do Mural de Maria S. Pedrosa) 

O perigo dos Direito Reprodutivos: http://adf.ly/cBede

A Falácia do my body, my rules: http://adf.ly/aIWw1  

Sabotagem Sexual (livro em inglês, PDF): http://adf.ly/cBplt

NSA monitora compra de empresas por estrangeiros que são laranjas de políticos daqui

ISTO É O QUE MAIS APAVORA A PETRALHADA QUE CORRE SÉRIOS RISCOS DE VIRAREM ALVOS DE DENÚNCIAS – PRINCIPALMENTE EM ANO ELEITORAL

Usar dinheiro obtido via corrupção, desviado para exterior, retornando os recursos para o Brasil sob o disfarce de “investimentos” pretensamente estrangeiros. Eis a forma criativa e dificilmente identificável de se apossar do patrimônio empresarial brasileiro empregada pelo esquema capimunista petralha. Além da corrupção, da incompetência gerencial e do aparelhamento da coisa pública, que outras heranças malditas os petralhas deixarão como legado ao Brasil?

Só uma operação de “draw-back” com dinheiro corrupto justifica que, de 2007 a 2013, pelo menos 350 empresas brasileiras tenham sido vendidas total ou parcialmente, em sua maioria para compradores latinoamericanos – que não têm tanto fôlego de compra como os norte-americanos, europeus ou asiáticos. Os negócios de compra de empresas brasileiras – usando anônimos investidores de fora como laranjas - movimentaram US$ 390 bilhões, só nos últimos seis anos.

A malandragem dos corruptos tupiniquins na aquisição de empresas é um dos alvos de investigação pela Agência Nacional de Segurança dos EUA. A NSA monitora negócios suspeitos de lavagem de dinheiro na América Latina. ISTO É O QUE MAIS APAVORA A PETRALHADA QUE CORRE SÉRIOS RISCOS DE VIRAREM ALVOS DE DENÚNCIAS – PRINCIPALMENTE EM ANO ELEITORAL

O DNA petralha pode estar por trás de muitos fundos de Private Equity que atuam no Brasil. A tática usada para não identificar os compradores consiste em duas jogadas. Se a empresa tem capital aberto, negociada em bolsa de valores, os compradores adquirem menos de 4% do capital para se manterem ocultos. Se a companhia tem capital fechado, laranjas são usados nas aquisições. Suspeita-se que muitos “empresários de fora” sejam políticos brasileiros ou parentes deles com nomes falsos de estrangeiros.

Um insuspeito levantamento da consultoria transnacional Ernest & Young revela que 77% das operações de compra de 350 empresas brasileiras foram lideradas por compradores de países da América Latina. Investidores europeus foram apenas 11% dos compradores. Outros 7% são asiáticos, 3% da África ou Oriente Médio e apenas 2% da América do Norte. O altíssimo percentual de “investidores” latinos – continente no qual países enfrentam problemas econômicos – merece uma investigação mais apurada de organismos que acompanham a lavagem ou enxugamento de dinheiro obtido criminosamente.


(Postagem de José Geraldo Sonvenso):

Acesso à matéria: http://adf.ly/cA7pS

Os quatro significados do mito da caverna


Primeiro significado

O mito da caverna nos apresenta os diversos graus nos quais se divide a realidade, que podem ser entendidos da seguinte forma:

a) As sombras no fundo da caverna simbolizam as aparências sensíveis das coisas;

b) As estátuas são as próprias coisas sensíveis;

c) O muro apresenta-se como a linha limítrofe entre o mundo sensível e o supra sensível;

d) As coisas verdadeiras situadas no outro lado do muro são representações simbólicas do ser verdadeiro e das Ideias;

e) O sol simboliza a ideia do Bem.

Segundo significado

O mito da caverna simboliza os graus do conhecimento, entendidos da seguinte maneira:

a) A visão das sombras é a imaginação, a visão das estátuas, a crença;

b) A passagem da visão das estátuas, gradualmente, até chegar à visão dos objetos verdadeiros e, subsequentemente, a visão do sol simbolizam a dialética em sua concepção pura.

Terceiro significado

O mito da caverna simboliza o aspecto místico e também teológico do platonismo. Vejamos:

a) A vida na caverna é a vida na dimensão dos sentidos e do sensível.
 
b) A vida na pura luz é a vida na esfera do espírito.
 
c) Libertação das algemas significa voltar-se do sensível para o inteligível, é uma conversão.
 
d) A visão suprema do sol e da luz é a visão do Bem, a contemplação do divino.

Quarto significado

Outro significado do mito da caverna é que ele expressa a concepção política de Platão. Vejamos:

a) O retorno a caverna representa o retorno do filósofo-político. Isso fica evidente no fato de que o fugitivo da caverna não continuou apenas contemplando o verdadeiro, ele supera seu desejo de contemplação do verdadeiro, retorna à caverna para salvar os outros. Esse era o pensamento político de Platão: o verdadeiro político não ama o comando e o poder, mas faz uso dele para ajudar os outros.
 
b) O risco que ele corre expressa o sentido da existência de todo aquele que viu o verdadeiro Bem e tenta ajudar outros que nunca tiveram a mesma visão que ele.

Fonte: Giovanni Reale, história da filosofia grega e romana, volume 3

(do mural de Flávio Fortini) 

Ver Também:

1) Comentário que faço àquilo que Platão falou: o limite da ordem vai até onde podem te ouvir. Após 5 segundos, clique em pular a propaganda (skip ad): http://adf.ly/c8q9b

2) Comentário que faço àquilo que Aristóteles falou: a amizade é a base para a sociedade política. Após 5 segundos, clique em pular a propaganda (skip ad): http://adf.ly/c8q6A